PARANOIA

Marcelo Drummond tropeça nos versos do desvairado ritmo da poesia de Roberto Piva.

PARANOIA TEATRO OFICINA - SP

Paranoia tem a estrutura de um show, mas é um poeta que circula pela região central da metrópole uma São Paulo mítica, noturna, que cresce – e se deixa invadir pelo erotismo e pela loucura latentes na madrugada. Marcelo Drummond tropeça nos versos do desvairado ritmo da poesia de Roberto Piva. Cai nas calçadas preto e branco de São Paulo, nos bares sujos, nos anjos da meia-noite, nos poetas malditos, nominalmente citados nas poesias. Mário de Andrade, Antonin Artaud e Garcia Lorca são rememorados na barafunda de viver na metrópole paulista em ebulição.

Compartilhe:

Ficha técnica

Autor: Roberto Piva

Com: Marcelo Drummond

Trilha: Zé Pi

Piano: Chicão (Rafael Montorfano)

Ação caligrafica

Autor: Roberto Piva

Com: Marcelo Drummond

Trilha: Zé Pi

Piano: Chicão (Rafael Montorfano)

Ação caligrafica

Autor: Roberto Piva

Com: Marcelo Drummond

Trilha: Zé Pi

Piano: Chicão (Rafael Montorfano)

Ação caligrafica

Galeria

Pular para o conteúdo